Blog Jornal a Notícia - Falando a Verdade

FACEBOOK DERRUBA 68 PÁGINAS E 43 CONTAS DE BOLSONARISTAS

O Facebook excluiu nesta segunda-feira, 22, uma rede de apoio ao candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro, formada por 68 páginas e 43 contas da rede social. 

Segundo a empresa informou ao Estado de S. Paulo, os donos dessas páginas, controladores de um grupo chamado Raposo Fernandes Associados (RFA), violaram as políticas de autenticidade e spam ao criar contas falsas e múltiplas contas com os mesmos nomes para administrar os grupos. 

A empresa que administra o grupo é a Novo Brasil Empreendimentos Digitais Ltda, de propriedade do advogado Ernani Fernandes Barbosa Neto e de Thais Raposo do Amaral Pinto Chaves. As páginas da rede são sempre identificadas com a sigla RFA na descrição.

“Autenticidade é algo fundamental para o Facebook, porque acreditamos que as pessoas agem com mais responsabilidade quando usam suas identidades reais no mundo online. Por isso, exigimos que as pessoas usem seus nomes reais e também proibimos spam, uma tática geralmente usada por pessoas mal intencionadas para aumentar de maneira artificial a distribuição de conteúdo com o objetivo de conseguir ganhos financeiros”, diz a nota do Facebook.

São José de Ribamar/MA – Mulher desconfia que o ex tenha assassinado seu atual marido que era pastor

A mulher do pastor Pereira, que foi assassinado na porta de sua casa quando retornava da igreja evangélica, disse aos policiais que investigam o caso que desconfia que o autor da morte tenha sido o ex-marido dela.

O pastor foi morto por arma de fogo por volta das 21h30 de ontem, domingo 21, na rua José Paulo Silva, no bairro Marapoia, na cidade de Ribamar e pelas características do crime tudo leva para execução premeditada. Dois homens estavam em um carro de onde partiram os tiros.

Uma ambulância ainda chegou ao local do crime, mas o pastor já havia falecido, como mostra a foto de Nunes Colunista – Folha Ribamar.

Ricardo Murad se entrega na Polícia Federal na Operação Sermão aos peixes

Na manhã de quinta-feira (18) a Polícia Federal deflagrou duas fases da Operação Sermão aos Peixes – Operação Peixe de Tobias (6ª Fase) e a Operação Abscondito II (7ª Fase) em cumprimento de 19 mandados de busca e apreensão; oito mandados de prisão temporária e um mandado de prisão preventiva. Entre os investigados está o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, que se apresentou espontaneamente na Sede da Polícia Federal, na Cohama. Todos os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal Federal da Seção Judiciária do Maranhão. Além disso, foi determinado o bloqueio judicial e sequestro de bens num valor que supera a cifra de R$ 15.000.000,00 (quinze milhões de reais). A operação está sendo realizada em São Luís/MA, Imperatriz/MA, Parauapebas/PA, Palmas/TO, Brasília/DF e Goiânia/GO.

Segundo informações da Polícia Federal (PF), os indícios coletados na operação constataram que entre os anos de 2011 a 2013, aproximadamente dois milhões de reais destinados ao sistema de saúde estadual, teriam sido desviados para uma empresa sediada na cidade de Imperatriz/MA, tendo ocorrido o pagamento de valores mensais a blogueiros. A PF apura as circunstâncias do fato.

Nas investigações da operação Abscondito II, a PF apura o vazamento da primeira fase da Operação Sermão aos Peixes reunindo elementos indicadores de que membros da organização criminosa investigada atuaram para cooptar servidores públicos de modo a obter informações privilegiadas sobre a investigação. Diante das informações existem indicativos de destruição e ocultação de provas por parte da organização criminosa.

Além disso, violando medidas cautelares impostas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, um dos investigados teria dilapidado seu patrimônio e transferido seus bens para terceiros visando impedir que fosse decretada a perda de tais bens.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa, dentre outros que possam ainda ser apurados. Após os procedimentos legais, os presos serão encaminhados ao sistema penitenciário estadual, onde permanecerão à disposição da justiça federal.

Os nomes escolhidos para estas fases são uma referência a trechos do Sermão do Padre Antônio Vieira (1654), que ficou conhecido como o “Sermão aos Peixes”, no qual o Padre utiliza vários peixes como símbolos dos vícios e corrupção da sociedade. O fel do Peixe de Tobias, apesar de amargo, teria a capacidade de curar a cegueira dos ouvintes.

No contexto da investigação, o Peixe de Tobias busca revelar (trazer luz sobre) parte da trama delitiva que envolveu o desvio de recursos públicos.

Já o nome Abscondito II, continuidade da Operação Abscondito, deflagrada em outubro de 2016, remonta a um trecho do Sermão segundo o qual alguns peixes, quanto maiores, mais se escondem. Trata-se de uma referência aos atos de ocultação de provas e de patrimônio a partir da tentativa de dissimulação e ocultação dos bens adquiridos com valores desviados do sistema de saúde estadual.

A investigação contou com a participação do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) e da Receita Federal do Brasil.

https://www.youtube.com/watch?v=jOqaxZJoun0
Fonte: Coroatá Online

Fernando Haddad estará em São Luís no próximo domingo, dia 21

O ex-secretário de Esportes e Lazer do Maranhão, Márcio Jardim, que filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), confirmou, através da sua conta no Twitter, que o candidato a presidência Fernando Haddad (PT) estará em São Luís no próximo domingo, dia 21.

Jardim postou uma foto nas redes sociais e escreveu: “Confirmado! O candidato da verdade e da paz estará em São Luís neste domingo (21). Seja bem-vindo a nossa “Ilha do Amor”, presidente @Haddad_Fernando!

A última vez que Fernando Haddad esteve em São Luís foi no dia 24 de agosto deste ano, quando realizava visitas às cidades nordestinas, em sua campanha presidencial no primeiro turno.

 

Fonte: Portal Guará

Flávio Dino: Transformar para melhor a realidade do nosso país

No Dia do Professor, comemorado nesta segunda-feira (15), o governador reeleito no primeiro turno, no Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que também é professor fez uma homenagem em vídeo publicado nas suas redes sociais. Flávio Dino agradeceu o empenho, a dedicação e o amor dos professores e professoras aos estudantes maranhenses. “Só com a educação construiremos um Maranhão melhor para todos”, afirmou.

À frente do Palácio dos Leões desde 2015, a grande aposta de Flávio Dino no estado é a educação. Ele já construiu ou reformou mais de 800 escolas, substituiu colégios de taipa por prédios de alvenaria, valorizou os professores e distribuiu 1,4 milhão de uniformes escolares.

O Maranhão paga hoje o maior salário para professores da rede estadual em todo o Brasil, acima de R$ 5,7 mil. Além disso, foram feitas mais de 20 mil promoções de professores nos últimos três anos e meio. E 50 mil docentes estaduais e municipais passaram por cursos de capacitação.

Tudo isso resultou, na maior nota do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Maranhão. O Ideb é a nota dada ao ensino dos Estados e do país.

“Vamos continuar juntos avançando, com programa Escola Digna. Tenham todos a certeza de que no nosso segundo mandato, continuarei firmemente empenhado para que haja a necessária e progressiva valorização da categoria dos professores. Farei o máximo, como sempre. Para que juntos continuamos a partilhar sonhos e realizar juntos com os nossos estudantes, o propósito de uma educação digna e comprometida com a liberdade, igualdade, fraternidade, com solidariedade”, afirmou Flávio Dino.

Fonte: vermelho.org.br

FENAJ CONVOCA JORNALISTAS PARA LUTA CONTRA O FASCISMO

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) divulgou nesta quinta-feira, 11, um manifesto em defesa da democracia e contra a ascensão do fascismo no Brasil, representada pelo candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL). 

No texto, a Fenaj lembra que o Código de Ética do Jornalista Brasileiro estabelece, em seu artigo 6º, entre outras coisas, que o profissional deve “opor-se ao arbítrio, ao autoritarismo e à opressão, bem como defender os princípios expressos na Declaração Universal dos Direitos Humanos”. 

“A Federação Nacional dos Jornalistas sente-se na obrigação de alertar a categoria e a sociedade em geral para a verdadeira disputa atual: ou democracia, com todas as suas imperfeições, ou o autoritarismo de base militar, com todos os seus males”, diz a Fenaj.

Leia, abaixo, o o texto na íntegra:

Manifesto FENAJ sobre a eleição presidencial

É hora de escolher a democracia

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), representante máxima da categoria no Brasil, novamente se dirige aos/às jornalistas e à sociedade para defender a democracia e opor-se ao fascismo emergente. Em breve, o povo brasileiro vai voltar às urnas para eleger o novo presidente do país e não restam dúvidas de que a disputa não se dá entre dois projetos democráticos, mas entre uma candidatura que respeita a institucionalidade e o jogo democrático e outra que representa uma regressão política e até mesmo civilizatória.

O Código de Ética do Jornalista Brasileiro estabelece, em seu artigo 6º, como dever do profissional: “I – opor-se ao arbítrio, ao autoritarismo e à opressão, bem como defender os princípios expressos na Declaração Universal dos Direitos Humanos;(…) X – defender os princípios constitucionais e legais, base do estado democrático de direito; XI – defender os direitos do cidadão, contribuindo para a promoção das garantias individuais e coletivas, em especial as das crianças, adolescentes, mulheres, idosos, negros e minorias;(…) XIV – combater a prática de perseguição ou discriminação por motivos sociais, econômicos, políticos, religiosos, de gênero, raciais, de orientação sexual, condição física ou mental, ou de qualquer outra natureza.”

Portanto, além de um dever cívico, é também uma obrigação ética dos jornalistas posicionarem-se contra um candidato a presidente da República que faz apologia da violência, não reconhece a história do país, elogia torturadores, derrama ódio sobre negros, mulheres, LGBTIs, índios e pobres e ainda promete combater o ativismo da sociedade civil organizada. Esse candidato é Jair Bolsonaro, do PSL.

Propositadamente, ele faz uma campanha despolitizada, assentada em valores morais, família e religião; na disseminação de ideias como anticomunismo, racismo e intolerância à diversidade. Na verdade, representa os que, ainda hoje, não se conformaram com a redemocratização e com os avanços sociais ocorridos na última década. Bolsonaro representa os que temem a democracia e a organização do povo; fala em nome daqueles que não se incomodam com privilégios nem com a corrupção e que não se constrangem com o uso da força onde e quando julgarem necessário.

Como entidade representativa dos trabalhadores e trabalhadoras jornalistas, a FENAJ também chama atenção para o perigo da agenda de retrocessos nos direitos trabalhistas anunciada pelo candidato do PSL, que certamente aprofundaria ainda mais os retrocessos da contrarreforma trabalhista imposta à classe trabalhadora pelo governo Temer.

Do outro lado, temos a candidatura de Fernando Haddad. Sem cair na tentação de avaliar os governos do PT, podemos afirmar seguramente que o partido respeitou – e respeita – as instituições democráticas; apresenta-se para o debate público e submete-se à vontade soberana do povo, expressa nas urnas. Haddad não é, portanto, um extremista autoritário que apenas está no polo oposto, como querem fazer crer seus adversários políticos.

Assim, a Federação Nacional dos Jornalistas sente-se na obrigação de alertar a categoria e a sociedade em geral para a verdadeira disputa atual: ou democracia, com todas as suas imperfeições, ou o autoritarismo de base militar, com todos os seus males. A decisão, portanto, tem de ser no campo da política, com o debate público sobre o país e seu povo.

Em defesa da democracia!

Em defesa do Estado Democrático de Direito!

Em defesa dos direitos humanos!

Em defesa da soberania nacional e popular!

Brasília, 11 de outubro de 2018.

Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ.